Arquivo para Alemanha

Alemanha Sob Ataque

Posted in Imagens e Letras with tags , , , , on 09/11/2011 by olavosaldanha

.

.

Alemanha não foi só ataque durante a guerra, ela sofreu o pesadelo hediondo das bombas. Foi uma chuva sem precedentes de explosões sobre casas, indústrias, repartições, enfim, um verdadeiro apocalipse se estabeleceu.

Dresden, por exemplo, com 642 143 habitantes, permaneceu até agosto de 1944 poupada de ataques aéreos, porque até então estava fora do alcance e planejamento alvo de bombardeiros aliados. Era última intacta localização industrial, econômica e administrativa e centro de transportes do Império Alemão.

Dresden era um centro de arquitetura, principalmente do Renascimento e do Barroco misturado a um layout medieval. Mas caiu na graça da destruição militar, e foi também impiedosamente massacrada.

O povo entrou nos porões de suas casas ou prédios, abrigando-se dos ataques em lugares com pouca entrada de ar. Foram dizimados como ratos.

As fotos abaixo mostram a verdadeira face da guerra. Ninguém sai vencedor nessas tragédias pagas com as vidas dos povos.

.
Imagens Aqui
(57 Imagens)

.

.

 

 

Outras propostas


.

assine o feed twiter

Os Primeiros Jornais do Brasil

Posted in Imagens e Letras with tags , , , , , , , , , on 15/04/2011 by olavosaldanha

.

.

Por causa da censura e da proibição de tipografias na colônia, impostas pela Coroa Portuguesa, o Brasil tardou a conhecer a imprensa. Data de 10 de Maio de 1747 a ordem régia de D. João V, executando o seqüestro de todas as letras de imprensa que se encontrassem no Brasil. Somente em 1808 é que surgem os dois primeiros jornais brasileiros. Em junho, o Correio Braziliense, editado e impresso em Londres pelo exilado Hipólito da Costa e em setembro do mesmo ano, a Gazeta do Rio de Janeiro.

A ironia da história é que, nem o Correio Braziliense é propriamente brasileiro e nem a Gazeta do Rio de Janeiro é propriamente imprensa. O Correio Braziliense foi fundado em Londres, e ali editado durante todos os 14 anos de sua existência, pelo brasileiro exilado Hipólito da Costa, que fazia praticamente sozinho uma publicação de até 150 páginas. Através desse veículo, remetido clandestinamente para o Brasil, Hipólito defendia idéias liberais como o fim da escravidão, dando ampla cobertura à Revolução Pernambucana de 1817 e aos acontecimentos de 1821 e de 1822 que originaram a Independência do Brasil. Para fazer oposição a este periódico, a coroa portuguesa, ainda no Rio de Janeiro, patrocinou o Investigador Portuguez , em Londres, com a intenção de enfraquecer as idéias propagadas pelo Correio Braziliense.

A Gazeta do Rio de Janeiro era um jornal oficial, dedicado aos comunicados de governo e aos louvores à família real. Dos equipamentos que serviu para criar a Imprensa Régia, primeira editora plantada em terras brasileiras, saiu depois a Gazeta.

O Farol Paulistano foi o primeiro jornal impresso na então Província de São Paulo, era seu editor José da Costa Carvalho. De linha editorial liberal, foi fundado em7 de fevereiro de 1827.

No nordeste, em maio de 1811, a província da Bahia passou também a produzir seu periódico, o Idade D’Ouro do Brazil, impresso na Tipografia de Manoel Antônio da Silva Serva. A partir dos anos 1920 surgiram publicações como o Diário do Governo do Ceará em Abril de 1824 e em setembro de 1832 o primeiro número de O Natalense, o primeiro jornal do Rio Grande do Norte, que era impresso no Maranhão, pernambuco ou Ceará, porque não havia prelo na provincia.

Na área de jornais específicos, por exemplo, O Patriota, redigido por Manuel Ferreira Araújo Guimarães na capital, foi o primeiro periódico brasileiro a publicar artigos literários, políticos e mercantis. O sexo feminino foi um dos primeiros periódicos a advogar pelo sufrágio feminino.

Começo a exposição com a imagem do primeiro jornal do mundo, denominado Aller Fürnemmen und Gedenckwürdigen Historien (Algo como “A Coleção de todas as Histórias”), reconhecido pela Associação Mundial de Jornais como o primeiro jornal do mundo, e a imagem do decreto de instalação da “Impressão Régia”, de 13 de maio de 1808. Ainda, no final, A Gazeta, o primeiro jornal em português, fundado em 1641, em Lisboa.

.

.

Imagens Aqui
(27 Imagens)

.

.

Referências de pesquisa: Arquivo Público do estado de São Paulo. Fundação Biblioteca Nacional. Livro “História da imprensa no Brasil” , págs. 105 a 109, Por Nelson Werneck Sodré. Museu da Comunicação. Livro “História da cidade do Natal”, págs. 300 e 317, de Luiz da Câmara Cascudo.Site da Biblioteca Nacional. Site tipografos. Annaes da Bibliotheca Nacional do Rio de Janeiro, págs 437 e 438. Correio braziliense, ou, Armazém literário, Volume 1 Por Hipólito José da Costa. Biblioteca Nacional de Portuugal.

.

.

Outras propostas

.

assine o feed twiter

A Muralha do Atlântico – Omaha Beach

Posted in Imagens e Letras with tags , , , , , on 24/03/2011 by olavosaldanha

.
.

O colar de fortificações estabelecidas em torno da costa norte e oeste da Europa chamava-se “A Muralha do Atlântico”, e a praia de Omaha fazia parte dela. Foi nesta praia onde aconteceu o mais tenebroso dos desembarques aliados para combater o exército alemão.

Hitler esperava que este colar cuidadosamente preparado fosse impedir a invasão aliada e, ao mesmo tempo propagar um choque psicológico que a opinião pública britânica e norte-americana nunca iria se recuperar, ele seria livre para renovar sua ofensiva no leste, Rússia.

Este muro, este colar de fortificações, começou a ser construído a partir de 1942 por um exército de trabalhadores recrutados. Eles tornaram a tarefa dos aliados difícil demais.

Os soldados que desembarcavam tinham que atravessar várias centenas de metros da praia aberta, cortar arame farpado, livrarem-se de minas escondidas (162 mil haviam sido colocadas alguns meses antes) e avançar para os bunkers alemães cujas metralhadoras cuspiam fogo ininterruptamente.

Foi um dia inteiro debaixo de uma chuva interminável de tiros, milhares de soldados morreram na praia, até que um grupo conseguiu quebrar a primeira barreira e depois a muralha inteira desabou sob o poder de fogo dos aliados. Centenas de aviões e navios transformaram a paisagem num verdadeiro apocalipse.

.

Imagens Aqui
(30 Imagens)

.

.

Referências de pesquisa: JE Kaufmann, Kaufmann HW: “Fortaleza Terceiro Reich”, página 196-197. DA Capo Press, 2003. Departamento de Guerra divisão histórica (1945). “Cabeça de praia de Omaha” . Army Center Estados Unidos da História Militar . Retirado 06 de novembro de 2009 . http://www.vanderweel.info/atlantikwall/main_building.htm. MuseumsCenter Hanstholm (museumscenterhanstholm.dk)..

.

Outras propostas


.

assine o feed twiter

.

O Muro de Berlim

Posted in Imagens e Letras with tags , , , , on 09/11/2010 by olavosaldanha


.
.

Uma das imagens mais emblemáticas da história do muro de Berlim foi a do soldado Wolfgang Engels, ele saltou, historicamente, entre dois sistemas sócio-econômicos e num dos momentos mais tensos da história.

Em outubro de 1973, os guardas foram orientados de que as pessoas que tentassem atravessar o muro eram criminosas e deviam ser baleadas: “Não hesite em usar sua arma de fogo, nem mesmo quando a fronteira é violada na companhia de mulheres e crianças, que é uma tática dos traidores, muitas vezes usado “.

28 anos, 4 meses e 9 dias desabaram em forma de concreto e tijolos,  apagando uma imensa cicatriz que riscava o rosto de Berlim de fora a fora. As duas partes, ideologicamente separadas, agora formavam apenas uma.  Uma unificação que fez a Alemanha surgir no mapa do mundo e assumir o papel de liderança nos assuntos de segurança europeus.

Os efeitos da queda do muro foram devastadores. Marcou o início do colapso do sistema comunista, que não era meramente econômico e político, era moral também. E ainda, o fim da guerra fria.

O dia 09 de novembro de 1989 foi um sopro de esperança para o mundo e um desafio para muitas pessoas e sistemas daquele lado do planeta, a busca de uma nova identidade.

.

Imagens Aqui
(24 imagens)

.

.

Referências de pesquisa: Rise and Fall of the Berlin Wall. History Channel, 2009. DVD-ROM. Muro de Berlim 20 anos – The New York Times – Chronicle of the Berlin Wall (www.dailysoft.com/berlinwall). Taylor, Frederick. The Berlin Wall: 13 August 1961 – 9 November 1989. Bloomsbury 2006

Outras propostas
.

.

assine o feed twiter

.


Reichstag

Posted in Imagens e Letras, Todos os Assuntos with tags , , , , , , , , , on 27/04/2010 by olavosaldanha

.

.

Nenhum outro prédio na Alemanha guarda tanta história quanto o Reichstag. Quando o imperador Guilherme I colocou a pedra fundamental em 1882, não imaginava que os acontecimentos que mudariam os rumos da nação estariam intimamente ligados ao edifício. Portanto, Destruir o Reichstag seria o mesmo que destruir grande parte da memória alemã. Por várias vezes houve esta tentativa, mas ele permaneceu lá. Os amantes da história agradecem.

Foi nele que Philipp Scheidemann proclamou a primeira República alemã, em novembro de 1918.

Foi por causa do terrível incêndio no edifício em 27 de Fevereiro de 1933, que Hitler achou razões para comprometer a democracia.

Foi nele que os Russos estenderam a sua bandeira, no dia 2 de Maio de 1945 no fantástico avanço sobre Berlim.

Foi o Reichstag o edifício escolhido para a cerimônia oficial da reunificação no dia 3 de Outubro de 1990.

Foi ele o edifício da nova política, quando se decidiu transferir a capital para Berlim.

Uma estranha curiosidade marca a relação do Reichstag com Hitler. Durante os 12 anos de domínio do Terceiro Heich, o edifício se resguardou de ser utilizado pelo nazismo. Em vez disso, nas vezes em que houve convocações, foi usado um edifício em frente.

Hoje, com a sua nova cúpula, símbolo de um futuro de esperança e de uma política de abertura, o Reichstag é aberto à visitação durante o ano inteiro e sem nenhum custo.

O mundo precisa conhecer esta história. Se o mundo não tivesse intervido ou se a Alemanha nazista tivesse saído vitoriosa, este prédio estaria incorporado na Welthauptstadt Germania ( Capital Mundial ). Germania era o nome que Adolf Hitler deu à renovação projetada para a capital alemã, Berlim .

.

Imagens Aqui
(32 imagens)

.
.

Outras propostas


.

assine o feed twiter

.