Chris Jordan

Os americanos consomem mais do que qualquer outro no planeta. E aqui está a intolerável beleza dos seus restos. Beleza? Sim, quando o responsável para mostrar o lixo é Chris Jordan, segundo ele ” Explorando ao redor do país…achei provas de um movimento apocalíptico em andamento”. A imensa escala do consumo pode parecer desoladora, macabra, cômica e irónica, porém, ao mesmo tempo bonita, se vista como arte. O consumismo detém um sedutor tipo de mentalidade. Coletivamente, o homem está cometendo um grande e insustentável ato de destruir ou acumular destruição, mas cada um é anônimo e ninguém é responsável pelas consequências. Jordan diz “Receio que, neste processo, estamos fazendo um prejuízo irreparável para o nosso planeta e para os nossos espíritos individuais” e “Assim, a minha esperança é que estas fotografias possam servir como portais para uma espécie de auto-inquérito cultural”. As imagens nos deixam desconfortáveis. De longe é arte, de perto, lixo. A sociedade americana é usada aqui apenas para chamar a atenção sobre o que acontece em todo o mundo. Chris Jordan tem antecedentes diferentes de outros fotógrafos. Trabalhou como advogado corporativo por 10 anos e fotografia era um hobby dos fins de semana, contudo, o gosto pela fotografia sempre falou mais alto e ele decidiu deixar a profissão forense para trás, melhor para nós. Ele resume assim “Eu estava infeliz nessa carreira, e me senti perdido espiritualmente e estava com medo de fazer uma mudança. Fiquei inquieto durante dez anos, trabalhando longas horas como advogado. Eu via outros que exercem as suas paixões – músicos, escritores, artistas, poetas, ativistas e pensadores de todo o tipo, produzindo surpreendentes e inspiradores trabalhos e vivendo um tipo diferente de vida. Mas eu não poderia ter isto da minha. Foi um momento triste e assustador para mim. Então, quando eu alcancei quarenta anos, me tornei consciente de um medo, o que me motivou finalmente a assumir o risco: Era o medo de não viver a minha vida, de ser uma pessoa velha, carregando-se com pesar. só aí deixei a profissão jurídica para prosseguir com o meu trabalho fotográfico, mesmo que significasse viver uma vida mais humilde materialmente”. Cada imagem retrata uma determinada quantidade de uma coisa: quinze milhões de folhas de papel de escritório (cinco minutos de utilização de papel ); 10 6000 latas de alumínio (trinta segundos de consumo ), e assim por diante. Visualmente Crhis examina com medidas o vasto e bizarro consumo da nossa sociedade, em grandes, intricadaS e detalhadas impressões fotográficas montadas a partir de dezenas de milhares de imagens menores. IMPERDÍVEL!

A Galeria de Imagens Aqui

 

106 mil latas de alumínio, o número usado em todos os E.U. em trinta segundos

 

 

Veja Também

O Lixo dos Famosos

Início

Anúncios

3 Respostas to “Chris Jordan”

  1. Lucelia Ferrari Says:

    Adorei as fotos parabéns, vi algumas das mesmas na revista isto é- lixo.Ótimas .Sou diretora do meio ambiente no município de Votorantim.Parabéns!!!

  2. antonio cunha Says:

    adorei encontrar esse artista…trabalho com reciclagem…sou prof. a rede publica de brasília….mais um bommaterial para meu acervo e para repassar aos meus alunos…valeu

  3. LUCÉLIA FERRARI Says:

    como faço para entrar em contato com você/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: