Archive for the Imagens e Letras Category

O povo não pode ser bobo

Posted in Imagens e Letras with tags , , on 29/06/2013 by olavosaldanha

opinia
.

 

Eu sou um dos que acham que a TV Globo não é nenhuma autoridade em matéria de liberdade de imprensa. Sabemos que ela vive em conluio com os governos, que usa seu status de maior TV do país para manipular o povo.

Basta ver suas reportagens sobre os movimentos. Aliás, muita gente deixou de ir aos protestos devido ao medo que a Globo sutilmente colocou na consciência coletiva de que as manifestações eram festivais de depredação e violência.

No entanto, desde de que se percebeu que a Globo ignorou uma manifestação com mais de 1 milhão de pessoas nas ruas, no caso as Diretas Já, que ela continua com seu crescimento e com seu status de mais poderosa mídia do país.

Percebo, com isso, que não é a Globo que tem que mudar, ela é uma empresa particular que usa os meios mais nefastos que pode encontrar para se estabelecer e se expandir.

Quem tem que mudar somos nós. Não adianta criticar e chegar em casa e ligar pra ver BBB, Novela, Jornal Nacional, etc. Se a Globo apresentar algo de bom na sua grade, e tem, não sou extremista para não perceber isso, que isso seja visto e ponto, mudemos de canal.

Procuremos uma consciência que nos torne formadores de opinião e não nos torne um “absorvente”.

O primeiro passo é exigirmos educação, e não só isso, temos que exigir uma educação que torne o cidadão um ser politizado, capaz de diferenciar a Jabuticaba da Uva. Com educação passaremos a perceber estas sutilezas e a exigir dos governantes transparência e políticas voltadas para o bem estar de quem sustenta este gigante que é o Brasil, seu POVO.

Para terminar uma dica: Sem leitura nenhuma nação progride. LEIAM MUITO.

.


Outras propostas

.

.

assine o feed twiter

.

Cliff House, o romance da casa do abismo

Posted in Imagens e Letras with tags on 13/12/2012 by olavosaldanha


.
.

Parece viver, a construção. Os náufragos anseiam por seus destroços, pois, como escaparão da ferocidade do mar, que brame como um monstro e arrasta-os de volta? A construção sobre a encosta chora seus náufragos, quer voltar, todavia, foi capturada e exposta sobre as pedras para o espanto de todos. Esta é a história do Cliff House, o romance da casa do abismo.

Cliff House é um restaurante que foi construído num penhasco sobre falésias em São Francisco, na Califórnia, com madeira de um navio naufragado naquela encosta. A partir daí o imóvel padeceu cinco desastres. Muitos supersticiosos chegaram a acreditar que os danos foram causados pelos marujos mortos no naufrágio; os verdadeiros donos dos destroços.  1858, o ano em que tudo começou.

Após a abertura das estradas, o Cliff House tornou-se muito famoso, sendo freqüentado, inclusive, por vários presidentes americanos.  Nos fins de semana não havia mais espaço nem para amarrar cavalos, tamanha era a novidade. Os passageiros começaram a chegar a partir das ferrovias, linhas de bondes e linhas de carruagens para a praia. Eram incontáveis.

Em 1877, explosões de dinamite, usada nas proximidades, demoliram uma ala inteira do restaurante. O edifício foi reparado, no entanto, foi completamente destruído na noite de Natal de 1894. Em 1896, o milionário Adolph Sutro, que havia comprado o prédio antes dos danos, o construiu novamente, desta feita em estilo vitoriano.  E mais uma vez grandes multidões de São Francisco chegaram em comboios a vapor, bicicletas, carroças, carruagens e bondes nas excursões de domingo.

Em 1906, um terremoto quase pôs abaixo novamente a construção, ela resistiu ao terremoto, mas não ao incêndio, foi destruída totalmente pelas chamas um ano depois, na noite de 07 de setembro de 1907.

Dra. Merritt Emma, a filha de Sutro, encomendou uma reconstrução do restaurante, agora no estilo neoclássico, que foi concluído no prazo de dois anos e é a base da estrutura de hoje em dia. O edifício foi adquirido pela National Park Service em 1977 e tornou-se parte da Golden Gate National Recreation Area.

Desde que a madeira do navio naufragado foi incorporada à construção, além das destruições sofridas pelo edifício, mais de trinta navios foram triturados em pedaços na encosta abaixo do Cliff House. Coincidências ou não, a construção, de tempos em tempos, parece flertar com o infortúnio.

A teimosa trajetória do Cliff House está bem documentada desde a sua construção até hoje.

.

Imagens Aqui
(32 Imagens)

.
.

Referências de pesquisa: Fotos e história: Guia do Visitante Cliff House (sftravel.com) – Site oficial do prédio (cliffhouse.com), Projeto Cliff House e Episódio de rádio, “Nevoeiro” de Mark Twain, publicado em A Era de Ouro da revista de 1864, da Califórnia Legacy Project (californialegacy.org).

Outras propostas
.

.

assine o feed twiter

.


A última história dos jornaleiros

Posted in Imagens e Letras with tags , , , , on 25/10/2012 by olavosaldanha

.

.

p

A fotografia favorita de Lou Turofsky, nascido em Chicago em 1892, filho de pais imigrantes russos, foi a de um jornaleiro exausto, deitado nos degraus de um edifício.

A imagem de um jornaleiro na chuva no mercado central de Lancaster, na Pensilvânia, foi a inspiração de Marjory Collins, fotógrafa de Nova York, para retratar a vida cotidiana da América em 1941.

Lewis Wickes Hine, um dos maiores fotógrafos americanos usou imagens de jornaleiros para sua denuncia social do trabalho infantil, as fotografias de Hine foram de vital contribuição para que leis de proteção aos jovens fossem criadas nos Estados Unidos, servindo de exemplo para o resto do mundo.

Um jornaleiro numa calçada em Londres eterniza-se numa fotografia icônica. Uma captura com duas narrativas incríveis. A primeira é sobre a sensacional notícia do desastre do Titanic. “Desastre do Titanic, grande perda de vidas” dizia o cartaz que impulsionava as vendas e divulgava um dos mais famosos acidentes da história. A outra é sobre o infortúnio do garoto.

Ned Parfett, dezesseis anos quando vendia jornais, teve sua vida tão curta e tão trágica como a do Titanic. Foi morto durante um bombardeio alemão enquanto soldado do exército britânico na França, poucos dias antes do Armistício, aos 22 anos, seis anos após a fotografia.

No Rio de Janeiro, em 1933, na confluência das ruas Miguel Couto, Ouvidor e Av. Rio Branco, o artista plástico Anísio Mota, inspirado na melancólica composição de Heitor dos Prazeres ergueu uma escultura em homenagem aos anônimos vendedores de jornais.

Histórias não faltam. Os jornaleiros, geralmente crianças, foram os grandes responsáveis pela propagação das notícias, distribuição dos jornais pelas ruas das cidades e ainda por imagens que ficarão para sempre como ícones de um tempo em que os jornais eram os grandes veículos de comunicação.

Hoje, quando esses veículos vão fechando suas portas, fecham-se também as histórias de milhares de meninos pobres que começaram suas vidas vendendo jornais. A tecnologia aos poucos empurra os jornais e os jornaleiros para trás das cortinas. Um novo espetáculo está começando.

.

Imagens Aqui
(13 Imagens e 01 Vídeo)

.

.

.

Outras propostas

.

assine o feed twiter

.

Alemanha Sob Ataque

Posted in Imagens e Letras with tags , , , , on 09/11/2011 by olavosaldanha

.

.

Alemanha não foi só ataque durante a guerra, ela sofreu o pesadelo hediondo das bombas. Foi uma chuva sem precedentes de explosões sobre casas, indústrias, repartições, enfim, um verdadeiro apocalipse se estabeleceu.

Dresden, por exemplo, com 642 143 habitantes, permaneceu até agosto de 1944 poupada de ataques aéreos, porque até então estava fora do alcance e planejamento alvo de bombardeiros aliados. Era última intacta localização industrial, econômica e administrativa e centro de transportes do Império Alemão.

Dresden era um centro de arquitetura, principalmente do Renascimento e do Barroco misturado a um layout medieval. Mas caiu na graça da destruição militar, e foi também impiedosamente massacrada.

O povo entrou nos porões de suas casas ou prédios, abrigando-se dos ataques em lugares com pouca entrada de ar. Foram dizimados como ratos.

As fotos abaixo mostram a verdadeira face da guerra. Ninguém sai vencedor nessas tragédias pagas com as vidas dos povos.

.
Imagens Aqui
(57 Imagens)

.

.

 

 

Outras propostas


.

assine o feed twiter

Flagrantes Históricos 05

Posted in Imagens e Letras on 28/09/2011 by olavosaldanha

.

.

p

A proposta dos Flagrantes Históricos não é encerrar a narrativa fotográfica com os ícones que foram mais importantes para as mudanças ocorridas no mundo, mas, trazer fatos curiosos de qualquer pessoa que possa ter, de uma forma ou de outra, evidência nas mídias.

Qualquer ser está fomentando sua história e participando, alguns mais, outros menos, do processo existencial. A história é de todos.

Neste artigo trouxe uma diversidade de imagens bem interessante, entre elas o encontro musical de John Lennon e Che Guevara em Chicago, em 11 de agosto de 1966. A atenção de Michael Jackson no trabalho de Stevie Wonder. As duas lendas Nat King Cole e Sammy Davis Jr. A irreverência de Salvador Dali. Enfim, deixe que a curiosidade o leve por mais esta reunião de ótimas imagens.

.

.

Imagens Aqui
(32 Imagens)

.

.

Outras propostas

.

assine o feed twiter

.

Tarsila Schubert

Posted in Imagens e Letras with tags , , , on 10/09/2011 by olavosaldanha

Outros bons artigos

.

.

.

Há vida sendo vivida nas pinturas de Tarsila, mesmo naquelas que remetem à reflexão contida e solitária de um personagem, a vida se desenrola lancinante ao redor e em cores vibrantes. A informação não se perde entre a sedução dos pigmentos, pelo contrário, são realçadas na sua proposta de traduzir um instante neste mundo multiforme da arte.

Tarsila Schubert diz-se seduzida pela literatura, poesia e música. Não é à toa que a obra “Basílio” cai tão bem nos versos: “De pescoço mole, o cabisbaixo; / Na cabeça quieta, a criação; / Sentado na cadeira, o viajante; / No aquário de ventania, num céu anoitado; / na mente a solução.”

Nasceu em Bauru e amou a pintura desde cedo. Hoje mora em Florianópolis.

Olavo Saldanha – Como uma artísta enveredou pela odontologia, ou, como uma odontóloga enveredou pela arte?

Tarsila SchubertA arte antes da odontologia já habitava meus pensamentos, me interessei pela área da ciência/ saúde quando eu tinha 16 anos onde eu ingressei num curso de prótese dentária e posteriormente na faculdade de odontologia, pra mim a arte e a odontologia andam juntas desde então,são áreas distintas e eu não as misturo. São dois mundos diferentes que eu habito.

Olavo SaldanhaQuando você percebeu que a pintura era tão importante quanto a profissão?

Tarsila SchubertA Arte pra mim é algo sem padrões ou limites, eu sou livre e faço quando eu quero ou quando me sinto a vontade. É onde eu posso me expressar, sem ter que obedecer ou seguir algum pré-requisito, a odontologia não dá essa liberdade de criação.

Eu sou muito emocional, então tenho umas explosões de sentimento aqui dentro que precisam sair. A importância está aí, a arte pra mim é uma forma de eu manifestar meus pensamentos e emoções.


Por outro lado eu me interesso muito, sobre assuntos ligados a ciência, e também sobre o bem estar e saúde das pessoas, e a odontologia foi uma forma que eu encontrei para ajudar.

.

Imagens e Entrevista Completa Aqui
(27 Imagens)

.

.
.

Referências de pesquisa:Imagens cedidas gentilmente pela artista a partir de seu site oficial (Tarsila Schubert), Faceboock e demais espaços de exposição. Entrevista concedida gentilmente pela artísta aoeditor deste blog (Olavo Saldanha)

.

.

assine o feed twiter

.

A. F. Vandevorst

Posted in Imagens e Letras with tags , , , on 30/08/2011 by olavosaldanha

Outros bons artigos

.

.

.

Na Bienal de Arnhem 2011, uma cidade do leste holandês, uma obra chamou a atenção do público e da crítica; a criação de A.F.Vandevorst feita especialmente para esta amostra, uma mulher em forma de vela. O molde foi produzido pelo taxidermista Richard Phillips.

A cera de tamanho completo de uma menina dormindo é entrecortada por uma série de velas, que queimam lentamente através de sua cabeça, tronco e pernas e no final mostra um aspecto aterrador.

O evento, que aconteceu ao mesmo tempo que a Bienal de Veneza, durante o mês de junho, se dividiu entre os temas Atmosferas, Elementos e Visões, explorando diferentes linguagens e processos de produção de moda.

.

.

Imagens e Vídeo Aqui

(11 Imagens)

.

Referências de pesquisa: Site oficial da bienal (arnhemmodebiennale.com/en/2011/) e do artista A. F. Vandevorst..

.

assine o feed twiter

.

A Escultura de Maskull Lasserre

Posted in Imagens e Letras with tags , , , , on 07/08/2011 by olavosaldanha

Outros bons artigos

.

.

.


A partir de objetos comuns Maskull Lasserre extrai arte. Este artista canadense explora o potencial inesperado do cotidiano contido nas coisas que carregam algum valor social, elementos de nostalgia, de alegoria, de humor e até do macabro. São incorporações novas da arte no objeto que induzem a estranheza e levam a uma curiosa viagem da pré-presença das esculturas.

Maskull Lasserre nasceu em 1978, em Calgary, Alberta. Ele passou sua infância na África do Sul e voltou para o Canadá para se instalar em Ottawa. Lá estudou artes visuais e filosofia na Mount Allison University, e escultura na Concordia University em Montreal. Hoje vive e trabalha nesta cidade.

Lasserre é premiadíssimo e é um participante recente no Programa Artista canadense nas Forças de Guerra no Afeganistão. Está também participando de uma exposição coletiva no Pierre-François Ouellette art contemporain inc, galeria canadense.

.

Imagens Aqui
(38 Imagens)

.


.

Referências de pesquisa: Site oficial do artista, galeria de arte Pierre-François Ouellette art contemporain inc. Atelier de arte e escultura em Montreal.

.
Outras propostas

assine o feed twiter

.

Roger Viollet-Coleções

Posted in Imagens e Letras with tags , , , , on 27/07/2011 by olavosaldanha

Outros bons artigos

.

.

.

Em 1938, Hélène Roger Viollet-e e Jean-Victor Fischer, ambos entusiastas da fotografia, fundaram a “Photographic Documentação Geral Roger Viollet-e”, hoje uma das mais antigas e conceituadas agências do mundo.

Hélène Roger Viollet-e e seu marido foram além da produção familiar e empreenderam um esforço contínuo de aquisições fotográficas no período pós-guerra. Assim, eles montaram uma coleção única de fotografias, cobrindo mais de um século e meio da história parisiense, francesa e internacional, em torno de quatro temas principais: Os principais acontecimentos históricos, Paris, Retratos de personalidades e Reproduções de obras de arte.

Roger Viollet-Coleções também oferece um passeio surpreendente na história da fotografia e nas produções de oficinas de fotografia e fotojornalismo do segundo Império.

Após a morte, os fundadores da Agência legaram à cidade de Paris perto de 6 milhões de imagens. Em 2005, a agência, junto a outras entidades, começoram a digitalização e difusão do acervo iconográfico da cidade de Paris.

Mais de 2 milhões de obras já foram digitalizadas ou reproduzidas sob demanda, a partir da vasta colecção do Musée Carnavalet, de la Bibliothèque Historique, du Petit Palais e do Musée d’Art Moderne, , e ainda de outras instituições especializadas, como o Musée Galliera (mode), la Bibliothèque Forney (arts graphiques), le Musée Cernuschi (arts asiatiques) e les maisons parisiennes d’écrivains et d’artistes (Victor Hugo, Balzac, Bourdelle, Zadkine).

Desde 2005, a Agência aumenta a atratividade de sua oferta através da divulgação de fotógrafos independentes que confiam a ela a gestão dos seus arquivos.

.

.
Imagens Aqui
(43 Imagens)

.


.

Referências de pesquisa: Site oficial do artísta/roger-viollet.fr. parisiennedephotographie.Prestígio de Fotografia , Volume 8, publicado pela EPA, 1980

.

assine o feed twiter

.

Arte em 3d – Marchal Mithouard – Shaka

Posted in Imagens e Letras with tags , , on 27/07/2011 by olavosaldanha

Outros bons artigos

.

.

.


Shaka, nome artístico de Marchal Mithouard, é um artista plástico francês, de paris, apaixonado pelas múltiplas formas de expressão (pintura, escultura, grafite, serigrafia, fotografias, etc.). Já passou por vários ateliers e após sua formação, colocou seu nome na lista de artistas respeitados do mundo.

A partir de 2007, Shaka passou a realizar pinturas em 3 dimensões, dano um impulso na sua carreira. A aplicação da forma tridimensional deu à obra, segundo ele, uma ligação maior entre ela e o mundo real.

Ele usa cores fortes e brilhantes, tintas em tons inteligentes e extraordinariamente vivas. Aqui está uma série de trabalhos em 3D sobre tela. Obras que muitas vezes escondem outros elementos da psique dos personagens.

.

.

Imagens Aqui
(24 Imagens)

.

.

Referências de pesquisa: Site oficial do artista, galeria de arte de Paris. Atelier de pintura de Sorbone .

.
Outras propostas

assine o feed twiter

.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 264 outros seguidores