VISÕES DA GUERRA DO IRAQUE


N
esses longos anos, desde a invasão dos Estados Unidos no Iraque, a guerra tem sido algo como um Rorscharch Test: as pessoas vêem o que querem. Alguns enxergam a guerra como a coragem de jovens soldados americanos arriscando suas vidas em nome da liberdade. Outros vêem o sofrimento do Iraque proporcionado pela invasão das tropas americanas. Ambas as partes foram rápidas na cobertura da Guerra. A imprensa americana foi fortemente alertada sobre os riscos presentes na área de guerra. Dezenas de jornalistas morreram e muitos outros ficaram feridos. Muitos soldados também tiveram acesso a câmeras digitais, flashes e acesso a Internet. O escritor David Friedman e os editores da GQ selecionaram fotos tiradas por soldados americanos e editou isso em um livro. O resultado é “This is our war: a soldiers portfolio”. Algumas das imagens são de qualidade excepcional, tiradas de soldados que exercem a fotografia, com boas câmeras, como se fosse um hobby. A maioria das imagens corresponde de forma honesta ao dia-a-dia dos militares. Em tempestades de areia, escoltas e na interação com os cidadãos iraquianos. Há também algumas imagens da batalha, com uma visão atípica dos jornais e revistas americanos. Vendo-se por outro ângulo, o Iraque parece outro planeta.

U
m outro livro, o Unembedded, exibe fotos do país de Thome Anderson, incluindo o trabalho de quatro fotojornalistas que conheceu durante a cobertura da Guerra. Todos estavam viajando sem garantias (nem seguro de saúde) de serem atacados durante a invasão. O livro mostra um panorama das ruas destruídas da cidade iraquiana de Najaf. De lá, o livro é carregado de cenas de batalha, particularmente uma terrível seqüência de imagens em que os civis foram bombardeados em Bagdá, no ataque de helicóptero dos EUA, em 2004. Nos ensaios que acompanham as histórias das fotos, os fotógrafos escrevem sobre os lugares que viajaram e como eles captaram as imagens. Em alguns casos, os fotógrafos encontram-se junto aos iraquianos que fotografavam, sob o ataque. O livro mostra os iraquianos de luto pelos membros mortos no ataque dos mísseis e se opondo aos americanos. Uma foto de Alford mostra uma criança celebrando o sucesso do ataque de uma bomba em um comboio americano, em Falluja. O fotógrafo Abdul-Ahad, enquanto seguia a tropa Mahdi, tirou fotos de um tiroteio cotra a tropa americana. Também tem fotos de uma mulher iraquiana em linha de fogo. E dos americanos que celebram a queda de Saddam Husseim. Os americanos aparecem somente em cinco das 130 fotografias do livro. Anônimos, sobre tanques ou caminhões. Os fotógrafos de Unembedded arriscam-se a todo tempo para conseguir imagens que fazem parte do livro, mostrando as mais violentas conseqüências da Guerra e discutindo sérias questões sobre o que está sendo feito para construir um Iraque estável.
Os livros Unenbedded e This is our war, parecem mostrar duas guerras diferentes. Para balancear divergências, fiz uma pesquisa e busquei imagens que retratassem os dois lados da guerra. Você vai ver agora em três galerias espetaculáres.

Galeria de imagens – Visões 01 aqui

Galeria de imagens – Visões 02 aqui

Galeria de imagens – Visões 03 aqui

 

O Fotosite do Terra foi fonte de pesquisa de texto

About these ads

6 Respostas para “VISÕES DA GUERRA DO IRAQUE”

  1. gustavo Diz:

    As grandes potências sempre cairam no erro de achar que as outras nações são apenas coadjuvantes na história, e porisso massacram sem piedade seres humanos que não compactuam com a guerra. Será que os EUA levariam suas crianças para uma exposição tão cruel. Parabéns por mostrar estas imagens, elas nos faz pensar e nos torna mais politizados, temos que escolher um lado e que este lado seja do respeito mútuo entre os seres. Principalmente cuidem das crianças.

  2. Difícil saber quem está corretp nesta guerra, enquanto isto os povos sofrem.

  3. alexsandro Diz:

    Fico admirado como a educaçao transforma o homem pois acho que feliz e um homem sem educaçao que vive na floresta e se chama indio ele pode nao te a tao famosa educaçao do homem branco que chamamos de civilizado mais alguem ja viu um indio matar por mero estato so para dizer que e poderoso pois os americanos assim fazem isso e sinal de um grande avanço finaceiro e um grande atraso mental vemos que milhoes de americanos perderam suas casas em meio as tragedias naturais e estao passando fome porque eles nao envestem este dinheiro que e jogado em uma gerra sem fundamentos para amenizar a dor de sua naçao sera que eles nao vem que agerra e uma mentira que unico objetivo da gerra e matar a verdade

  4. o mais correto que eu acho é que quem devia ter ido para o ringe era o buch e sadam teria evitado toda está tragedia e adestruisão do iraque

  5. Mauro Dinda Diz:

    Humanos…Todas as Guerras podem ser evitadas….e aquelas que não conseguimos evitar devemos assumir a culpa pelas mortes………….eu,tu,nós e eles…

  6. aiiiiiiiiiiiiii uiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii mortos casseteta

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 252 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: